Três mil kits foram impressos e distribuídos em hospitais, SAMU e UPAs

Durante a internação hospitalar, alguns pacientes acometidos pela forma grave da Covid-19 podem fazer uso de ventiladores mecânicos ou de outros procedimentos que limitam ou impedem a comunicação oral. Pensando em facilitar a interação entre esses pacientes e a equipe de cuidados, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SESMG), em parceria com o Conselho Regional de Fonoaudiologia (CREFONO) vai distribuir para as unidades de saúde pranchas de comunicação alternativa.

O CREFONO imprimiu e plastificou 3 mil kits das pranchas de comunicação alternativa para serem distribuídos pela SES-MG aos hospitais, SAMU e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) que fazem atendimento a pacientes com Covid-19 no estado.

CREFONO6

De acordo com o Subsecretário de Políticas e Ações de Saúde da SES-MG, Marcílio Dias Magalhães, “a iniciativa representa fomento e qualificação às práticas de humanização e acolhimento no SUS-MG, bem como a oportunidade de estreitar parcerias com instituições que trazem evidências científicas para o aperfeiçoamento das diretrizes na saúde”.

Segundo Mônica Farina, diretora de Ações Temáticas e Estratégicas da SES-MG, as pranchas de comunicação foram elaboradas para auxiliar as pessoas em contextos hospitalares a expressarem suas necessidades. “As pranchas também podem ser utilizadas em qualquer ponto de atenção à saúde, bem como no dia a dia por familiares e cuidadores de pessoas que tenham dificuldade na comunicação oral, desde que orientados por um profissional de saúde”, explicou.

As pranchas foram criadas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e possuem desenhos coloridos e fáceis de manejar. “As pranchas foram impressas coloridas e plastificadas com as páginas em frente e verso. A plasti­ficação aumenta a durabilidade e permite a higienização constante do material”, disse Mônica Farina.

Veja aqui o vídeo explicativo

Facilitando a comunicação

As pranchas serão distribuídas juntamente com um manual de instrução para a equipe de saúde. Para usar as pranchas, o primeiro passo é o profissional explicar ao paciente, que estiver com impedimento na comunicação oral, que as pranchas são uma alternativa para que ele possa expressar suas vontades e seus sentimentos. Em seguida, é importante demonstrar como a prancha funciona. O paciente deve apontar com os dedos, as respostas.

“Assim que explicar ao paciente o procedimento e exemplificar, o profissional de saúde pode pedir para que o paciente indique se compreendeu a forma de comunicar. A prancha precisa ficar próxima ao paciente para que qualquer pessoa possa alcançá-la sempre que necessário”, comenta Mônica Farina.

As pranchas também podem ser usadas por pacientes que estão impossibilitados de utilizar as mãos para apontar. Nestes casos, o profissional deverá auxiliar a comunicação estabelecendo uma outra maneira de o paciente comunicar uma resposta. Eles podem, por exemplo, combinar que a resposta SIM poderá ser um movimento com a cabeça ou um piscar de olhos.

Conheça as pranchas:

Prancha 1

Prancha 2

Manual básico de uso

Por: saude.mg.gov.br/Juliana Gutierrez

Imagens: saude.mg.gov.br